Mensagens

Sport Club de Vila Real e o Campo da Eira

Imagem
Sport Club de Vila Real O Sport Club de Vila Real foi fundado em 20 de Maio de 1920 por um grupo de rapazes cheios de boa vontade e amor ao desporto. Este club possui várias taças e troféus, entre as quais se contam as seguintes: - «O Povo do Norte»; - «1.° Torneio Atlético»; - «2.° Torneio Relâmpago»; - Taça «Dr. Roque da Silveira»; - Taça «Natação»; - Taça «Américo Martins Ferreira»; - Taça «Tabú»; - Taça «Trás-os-Montes» da F. P. F.; - Taça «António da Eira» - Taça «Marléne»; - Taça «Dr. José Augusto Fernandes»; - Taça «Óscar de Barros» e - Taça «Jubileu dos Bombeiros Voluntários de Vila Real. O Sport Club de Vila Real tem as secções de: Futebol, Ténis, Natação. Atletismo, Basket-Ball, Ciclismo, Ping-Pong e tiro de Chumbo. Ganhou o campeonato regional desde 1924 até à presente época de 1941-1942, sendo portanto, campeão da Província de Trás-os-Montes e Alto Douro há 17 anos. A sua actual Direcção [1943] é composta pelos Srs.: Presidente - Ar

Para a história da Avenida Marginal...

Imagem
Parte da Avenida Marginal, em 1998 ( Revista Municipal nº6 ) Na edição de 27 de fevereiro de 1958, " O Vilarealense " publicou uma notícia intitulada: " Avenida Marginal ", com o seguinte teor: " Em curtos meses deve concluir o troço da Avenida Marginal, compreendido entre a antiga Escola Régia , do Largo do Trem e a velha R. de S. João . Anuncia-se agora, para breve, o início do rompimento da Avenida, desde o Palácio do Governo Civil até ao sítio do antigo Matadouro , obra que envolve a demolição de diversas casas. Assim o exige o progresso na sua implacável arrancada. Texto relacionado: Demolição da Escola do Conde Ferreira para abertura da Avenida Marginal Mas, pergunta-se, já foram notificados os proprietários e os moradores dos prédios a esboroar, do que vai proximamente suceder-lhes? Ou só se lhes esclarece a situação à última hora? Não se lhes dá tempo, o tempo necessário, justo e imprescindível, para estudarem o seu tormentoso problema, a fim de

A igreja matriz de São Pedro - Vila Real

Imagem
Igreja matriz de São Pedro (c. 1943) Fundada por D. Dinis em 1289 , a pobra de Vila Real não se desenvolveu no lugar escolhido pelo Rei Trovador, mas, rapidamente, virou costas aos muros que lhe tolhiam os movimentos, e foi crescendo para norte, nordeste e noroeste, pois para sul não lhe permitia o rio Corgo , com as suas escarpas íngremes! Com o passar do tempo, a paróquia inicial, São Dinis, foi julgada insuficiente para o cuidado e a cura das almas dos vila-realenses, cujo número ia crescendo. A Paróquia de São Pedro nasceu, pois, com a expansão de Vila Real . No ano de 1528, verificando-se um grande acréscimo populacional (478 moradores em 1530), foi começada, por iniciativa de D. Pedro de Castro , abade de Mouçós e Protonotário Apostólico , a construção da igreja de São Pedro , localizada numa das extremidades da Vila, no local onde existia a capela dedicada a S. Nicolau . A sua construção levou quase duzentos anos a concretizar-se, tendo ficado concluída em 1720. Segund

Memórias do Café Club, em Vila Real

Imagem
Café Club - Vila Real Em 1 de Março de 1917, inaugurou-se o Café Club . As obras começaram um ano antes, quando as pessoas de Vila Real notaram um movimento pouco habitual, nos baixos do palacete que ocupava uma parte do chão da antiga casa dos marqueses de Vila Real , que mobilizou marceneiros, pintores e trolhas. Os proprietários deste salão de recreio ou café-concerto eram o tesoureiro da Câmara Municipal, José Ferreira , e o visconde de Trevões . Já havia a tradição dos cafés-concertos em Vila Real, devido à Feira de Santo António . Mas dizia-se que o Café Club seria o mais luxuoso de toda a província. Chegado o grande dia, as portas do estabelecimento abriram-se. Tinha duas entradas, uma para a Avenida Carvalho Araújo e a outra para a Rua António de Azevedo . No interior, um balcão enorme, mesas com tampo de mármore, candelabros, espelhos e grandes quadros, pintados propositadamente para aquelas paredes, de inspiração naturalista e ao ar livre, de que alguns nã

O Marão, formidável montanha a Poente de Vila Real

Imagem
  Vila Real, Oh! que linda és: Tens o Corgo aos Pés Em adoração! Vila Real Como és gentil: Canta-te o Cabril, Beija-te o Marão! (Refrão da Marcha de Vila Real , da autoria de Mons. Ângelo Minhava )   “O Marão - talvez não saiba ainda - é esta formidável montanha a Poente, baluarte de granito, esculpida em convulsões cósmicas, carregada até ao cerne de dramatismo, que não só nos separa como nos isola, e por isso nos molda e dá identidade e a obstinação. Teixeira de Pascoaes , um Poeta de Amarante (cidade do outro lado do Marão), adivinhava nele uma alma gémea da sua, com quem conversava a horas mortas, em noites de temporal desfeito, em que os fantasmas feitos de neblina e escuridão vagueavam pelos cerros e despenhadeiros, pagando promessas e expiando crimes. Esta visão espectral do Marão quadra-lhe bem. É de facto difícil contemplá-lo e não o sentir inquieto, como quem domina a custo ímpetos fundos de se fazer gente e amar. Os grandes Poetas, como Pascoaes, têm o dom

Futebol Club Vilarealense

Imagem
Futebol Club Vilarealense Em 1936, no bairro das Hortas , existia um grupo constituído por rapazes entusiastas, intitulado « Águia d'Ouro Futebol Club », que em 2 de Julho de 1937, resolveu mudar de nome, ficando desde então, a chamar-se « Futebol-Club Vilarealense ». Este grupo é filial n.º 27 do « Futebol Club do Porto ». O seu principal desporto é o futebol, apesar de se ter já feito também representar em ciclismo na prova « Flores de Portugal » com o seu corredor, Avelino Gomes da Silva. É uma das grandes aspirações do Futebol Club Vilarealense adquirir um Parque de Jogos, estando, para tal fim, em negociações com o antigo campo dos Bombeiros Voluntários de Salvação Pública . A sua actual Direcção [1943] é composta pelos Srs.: Presidente, Olindo Teixeiró; Vice-Presidente, Sérgio Correia; 1.º Secretário, António Vieira da Silva Claro; 2.º Secretário, José Augusto Gomes; Tesoureiro, Jaime das Neves; Vogais, Augusto Ribeiro e Olímpio Teixeira. Tem a sua sede

Bombeiros Voluntários de Salvação Pública e Cruz Branca - Vila Real

Imagem
  Bombeiros Voluntários de Salvação Pública de Vila Real, com o seu Comandante - o sr. Manuel Moraes Serrão, no dia do 19º aniversário desta colectividade.  (Fotografia oferecida pelo sr. António Vieira Claro). Ilustração Portuguesa - II série, nº519 - 31 de Janeiro de 1916 Sugestões: Os Bombeiros em Vila Real (1856 a 1912) Bombeiros Voluntários de Salvação Pública e Cruz Branca - Vila Real O vila-realense comandante Morais Serrão foi membro da Federação dos Bombeiros Portugueses em 1905

Vila Real de Trás-os-Montes: a origem, o nome, o brasão, a cidade…

Imagem
Vista geral de Vila Real (segundo uma fotografia do sr. Lopes Martins) Vila Real de Trás-os-Montes Na assentada dum pequeno e verdejante monte, que se ergue em natural anfiteatro, fronteiro ao alcantilado e gigantesco Marão , correndo lhe aos pés os rios Corgo e Cabril , levantou D. Dinis , o rei lavrador, em 1289, a risonha e formosa vila, que denominou a Real , porque, diz a crónica, foi por sua real indicação que se escolheu tão aprazível sítio ou porque, de entre as demais vilas do reino, a futura capital da região trasmontana sobrelevava ou havia de sobrelevar a todas. E, ou fosse vaidade de momento ou predição do poeta coroado, o que é facto, é que hoje, o vaticínio, se vaticínio houve, está realizado. Vila Real é incontestavelmente uma das primeiras e principais vilas do país. O nome… Tem sido ponto controverso a etimologia do nome desta importante povoação do Norte, fazendo-o alguns derivar da situação topográfica da terra banhada por dois rios, vindo desta sorte

De Vila Real às Pedras Salgadas - inauguração da nova linha férrea (1907)

Imagem
"Coincidindo com a viagem d'El-Rei às Pedras Salgadas , para a sua cura de águas deste ano, o governo autorizou a abertura à exploração provisória do novo troço da linha férrea do Douro , que fica ligando Vila Real com aquela afamada estância minero-medicinal. A respectiva inauguração realizou-se, pois, no domingo 14 do corrente [ Julho de 1907 ]. O novo caminho-de-ferro, cujo percurso é de 37 quilómetros, segue de Vila Real , em rampa, até Vila Pouca de Aguiar , começando desde este ponto a descer até às Pedras Salgadas . Parte do trajecto faz-se entre elevadíssimas e alcantiladas montanhas, e em quási todo ele o rio Corgo acompanha o comboio, correndo ao seu lado em ziguezagues caprichosos. A vegetação é por toda a parte exuberante e viçosa, e a paisagem apresenta uma grande diversidade de aspectos graciosos. É por isso que, apesar de lhe faltarem obras de arte importantes, o ramal de Vila Real às Pedras Salgadas fica sendo uma das linhas mais pitorescas do país,

Guiães foi fundada por D. Sancho I em 1202 (8 de Abril)

Imagem
Uma feira em Guiães (1909) “ Guiães foi vila por foral concedido por D. Sancho I , em 1202. Foi também sede de concelho estando compreendida na sua área, entre outras, a freguesia de Paradela de Guiães , que daquela se separou por os possuidores de determinada quinta se recusarem a pagar os foros a Guiães . Houve litígio, chegou a haver mortes, e ficou, desde então, Paradela, pertencendo a Sabrosa, que nessa época subiu de categoria. (…) Guiães, com os seus terrenos de natureza xistosa admiravelmente dispostos ao sol, presta-se exuberantemente para a cultura da vinha na qual se resume, por assim dizer, toda a sua vida agrícola. Na encosta que fica voltada a nascente e na qual o terreno esta disposto em socalcos numerosos que, vistos de longe, produzem um eleito admirável interessante, produz-se vinhos tão finos que podem ser igualados aos melhores da região duriense, Além da vinha, possui também as suas oliveiras que dão um azeite de qualidade muito fina, muito saboroso e mui